a-limpeza-consciente-o-que-e-e-como-voce-pode-entrar-nessa.png

A limpeza consciente: o que é e como você pode entrar nessa

Não importa se é você ou outra pessoa quem faz a limpeza da sua casa. Refletir sobre qual tipo de produto utilizar é muito importante. Tanto que, há alguns anos, instituições públicas e privadas fizeram um pacto setorial para incentivar um movimento em prol da chamada limpeza consciente. Este defende que a responsabilidade por cada etapa dos ciclos de vida dos produtos seja compartilhada entre todos os envolvidos, dos fornecedores de insumos aos fabricantes, distribuidores, comerciantes e consumidores.

Desde então, a oferta de alternativas ecologicamente corretas, que não agridem nem sua saúde nem a do planeta e, se possível, deixem um rastro de relações de trabalhos e sociais justas, vem aumentando.

Atualmente, é possível escolher desinfetantes, desengordurantes e companhia pensando no lar e no meio ambiente ao mesmo tempo.

É possível deixar a casa limpa de verdade com segurança?

Certamente. Quem acompanha as discussões sobre ecologia sabe que a higienização não está ligada à quantidade de espuma produzida pelo sabão ou ao “cheirinho de limpeza” que perfuma o ar.

Também não é preciso sofrer com alergias na pele ou com incômodos respiratórios decorrentes de agentes químicos durante ou mesmo depois da faxina.

Com investimentos em pesquisa e novas tecnologias, uma série de componentes pode ser suprimida sem prejudicar a remoção da sujeira de utensílios e ambientes domésticos. Isso porque uma limpeza consciente parte de fórmulas eficientes.

Na prática, é como se toda a sabedoria das donas de casas de antigamente, com suas misturas à base de bicarbonato de sódio, vinagre e/ou limão, fossem comercializadas prontas e melhoradas.

Além disso, disponibilizadas na medida certa e com a aplicabilidade em diferentes superfícies, devidamente especificada, o que afasta o risco de avarias ou de inconvenientes danos, principalmente no mobiliário, facilitam o uso por quem não tem prática ou habilidades domésticas. Tudo é uma questão de escolha.

Como escolher produtos para fazer uma limpeza consciente?

É simples: basta lembrar que os cuidados com a sua saúde e com a do planeta podem e devem andar juntos. Por isso, opte por alternativas ecologicamente corretas. A Biowash é um exemplo na fabricação de produtos sustentáveis, biodegradáveis e hipoalergênicos.

Os produtos são feitos à base de matérias-primas de origem vegetal, 100% livres de derivados petroquímicos, comuns em produtos tradicionais e responsáveis pelo potencial alergênico dos mesmos. Há fórmulas que receberam ingredientes hidratantes, como aloe vera, em vez daqueles que maltratam a pele.

Uma vez em meio à natureza, o fato de serem biodegradáveis e de base vegetal garante que microorganismos deem conta de sua decomposição sem gerar resíduos tóxicos ao ecossistema local.

Sempre verifique se o rótulo traz o número de registro ou notificação do produto na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Isto garante ao consumidor que os produtos foram fabricados seguindo a legislação e os processos de Boas Práticas de Fabricação.

Caso isso seja importante para você, cheque se o produto é também vegano, ou seja, que não realiza testes em animais. Procure, ainda, por selos de certificação, que asseguram o compromisso com a limpeza consciente.

O selo do IBD Ingredientes Naturais, por exemplo, garante que as matérias-primas sejam de fontes renováveis. Já o selo eureciclo atesta o cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Como colaborar para que tudo funcione da melhor maneira?

Mesmo com opções hipoalergênicas, como cada pessoa tem um tipo e grau de sensibilidade, convém prevenir-se e usar luvas para a realização das tarefas domésticas.

Além disso, nunca misture produtos diferentes e respeite as datas de validade, que garantem sua eficácia.

Não reaproveite embalagens de produtos de limpeza vazias. Separe-as para a coleta seletiva. Em caso de dúvida, fale com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) considera como biodegradáveis as embalagens que levam, em média, até três meses para se desintegrar em pelo menos 90% (decompondo-se em pedaços de até 2 milímetros).

Porém, muitos especialistas acreditam que é mais interessante que elas voltem para suas respectivas indústrias, passem por um processo de esterilização e sejam reutilizadas. A prática evita que o gás metano e o CO2, decorrentes da degradação, poluam a atmosfera.

Para ter o destino correto, é importante que cada um faça a sua parte e separe o lixo orgânico do reciclável. Vale lembrar que isto, por sua vez, ainda ajuda a gerar emprego em cooperativas diversas.

Quais são as opções que trazem melhor custo/benefício?

Ainda que o preço de prateleira seja maior, se comparado aos similares tradicionais, no quesito custo/benefício fazer uma limpeza consciente compensa. Sempre que possível escolha produtos concentrados.

Comercializados em embalagens menores, eles preservam os recursos naturais, já que utilizam menos água em sua cadeia produtiva e geram menos resíduos.

Por ocuparem menos espaço, produtos concentrados têm a logística de distribuição melhor aproveitada, diminuindo as emissões de gás carbônico (CO2) no transporte.

Como têm elevado poder de limpeza e rendimento, você poupa idas ao mercado. Mas, evite desperdícios, usando apenas a quantidade indicada na embalagem.

Além dos multiusos concentrados, para quem não abre mão da praticidade há acessórios que facilitam a diluição e aplicação de produtos prontos para o uso.

Como ter atitudes mais sustentáveis durante os afazeres domésticos?

Criando bons hábitos. Para economizar água, use um borrifador para limpar porcelanato, vidros, azulejos e outras superfícies. Lembre-se de limpar uma coisa sem sujar outra. Tenha um paninho por perto, para impedir que a água escorra sujando as paredes e o chão. No piso, use um pano umedecido e, com ajuda de um balde e do rodo, vá por setores.

Na hora de lavar louça, raspe todo resto de alimentos, deixe pratos, talheres e panelas de molho em água quente. Ensaboe-os com a torneira fechada e enxágue com água corrente, fechando a torneira entre uma leva e outra.

Em relação às roupas, espere que as peças acumulem o suficiente para preencher a capacidade máxima da máquina de lavar. Otimize a limpeza por meio da escolha do ciclo de lavagem adequado ao tipo de tecido e grau de sujeira. Deixe secar ao vento, pendurada no varal, poupando energia elétrica.

Por fim, você pode reutilizar a água com sabão da lavagem para limpar o vaso sanitário ou o piso das áreas externas.

Viu como é fácil aderir à onda da limpeza consciente? Assim como cozinhar, fazer faxina ― acredite ― virou uma questão de estilo de vida. Existem blogs, canais no YouTube e até programas nas TVs dedicados ao universo dos cuidados domésticos. Para conhecer outras maneiras ecologicamente corretas de cuidar do lar, assine a nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This