agroecologia-tudo-o-que-voce-precisa-saber.jpeg

Agroecologia: tudo o que você precisa saber

Sabemos que a agricultura convencional brasileira é caracterizada basicamente por três fatores: monocultura, produção mecanizada e uso de insumos químicos para controle de pragas. Em contrapartida ao agronegócio tradicional, surgiu a agroecologia como forma de cultivo ecológico e sustentável.

Mas, apesar de ser cada vez mais difundido, esse conceito ainda desperta dúvidas sobre alguns dos aspectos referentes aos seus princípios, às suas práticas produtivas e aos benefícios proporcionados ao meio ambiente e à saúde humana.

Neste sentido, partindo da necessidade de esclarecer essas questões, preparamos este guia com tudo o que você precisa saber sobre agroecologia. Após a leitura, certamente você vai perceber que essa forma de cultivo sai na frente quando falamos em modelos justos de produção e em uso consciente dos recursos naturais do planeta. Acompanhe e fique ligado!

O que é e como surgiu a agroecologia?

Há várias explicações envolvendo o conceito de agroecologia. No entanto, o consenso acerca do termo o define como um conjunto de práticas de cultivo mais justas, economicamente viáveis e ecologicamente sustentáveis.

Esse pensamento ganhou força no contexto da ECO-92 (Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento), sediada no Rio de Janeiro, em 1992.

Desde então, a agroecologia vem se consolidando como uma alternativa de sustentabilidade e responsabilidade social para combater os impactos ambientais gerados pela agricultura convencional, como a degradação do solo, a poluição dos lençóis freáticos e a diminuição da biodiversidade natural.

A essência do conceito agroecológico relaciona-se à aplicação de princípios de várias áreas do conhecimento científico — como agronomia, ecologia, antropologia e sociologia — para o manejo racional dos ecossistemas agrícolas.

Assim, a partir dessa proposta multidisciplinar, tem-se uma perspectiva abrangente de conhecimento, de modo a tornar o processo agrícola o mais consciente possível, preservando não só a biodiversidade e os recursos do planeta, mas também a saúde de todas as espécies.

Por que a agroecologia é importante para a natureza?

Como sabemos, os processos agrícolas tradicionais — altamente mecanizados e que visam apenas ao lucro — não se preocupam com o uso sustentável e racional da terra.

O resultado dessa prática é algo devastador, considerando-se a deterioração em larga escala dos recursos naturais do planeta, o desequilíbrio dos ecossistemas e os efeitos extremamente danosos à saúde humana, provenientes do cultivo inadequado.

Neste sentido, fica ainda mais fácil enxergar a importância ecológica dos métodos de cultivo sustentáveis como a agroecologia. Um dos principais pontos positivos desse cultivo ecológico é justamente a perspectiva de fazer com que a terra permaneça sempre produtiva. Isso não acontece na agricultura tradicional, que desgasta o solo até torná-lo improdutivo.

Outro ponto vantajoso da agroecologia é que essa prática prega que todas as formas de vida presentes no ciclo da agricultura têm real importância no processo — plantas, animais, minerais, microrganismos, etc. —, contribuem conjuntamente para o cultivo saudável e a evolução humana.

A partir da compreensão dessas concepções de cultivo sustentável, a agricultura ecológica se utiliza de formas de produção com o mínimo possível de insumos externos e impactos socioambientais.

Nesta perspectiva, as principais práticas de cultivo adotadas pela agroecologia incluem os seguintes aspectos:

  • substituição de fertilizantes artificiais por adubos naturais, de modo a não contaminar solos e lençóis freáticos;

  • não uso de pesticidas e transgênicos (organismos geneticamente modificados) que, no longo prazo, prejudicam nossa saúde;

  • valorização dos alimentos orgânicos, sem adição de produtos químicos que alterem o sabor e a composição nutricional dos alimentos;

  • proibição do cultivo em áreas de reserva ou que demandem queimadas e desmatamentos.

Desse modo, a agroecologia age sempre a favor da sustentabilidade, da saúde dos consumidores e também de modelos produtivos mais justos para o trabalhador, em contraposição ao modelo de produção individual.

Importante ressaltar, ainda, que o sistema de produção ecológico é vantajoso tanto para as pequenas propriedades quanto para as médias e grandes que se interessem pelas práticas sustentáveis envolvendo a preservação do planeta e da vida humana.

Benefícios da agroecologia

Se, mesmo após a leitura sobre a importância socioambiental da agroecologia, ainda restam dúvidas quanto aos benefícios dessa prática, confira outras vantagens do processo e entenda por que a agricultura ecológica é a melhor amiga da natureza:

  • permite a renovação natural dos solos;

  • utiliza os recursos naturais de forma consciente;

  • mantém a biodiversidade e a estabilidade natural dos ecossistemas;

  • favorece a reciclagem de nutrientes importantes para a formação do solo.

Além disso, a agroecologia está diretamente relacionada ao consumo de alimentos mais adequados à manutenção da qualidade de vida humana. Acompanhe:

Alimentação saudável e nutritiva

Sem dúvida alguma, os alimentos provenientes do cultivo ecológico são muito mais nutritivos e saudáveis. Eles saem na frente também nos quesitos sabor e durabilidade. Isso só é possível graças às práticas de cultivo da agroecologia, que dispensam aditivos químicos no processo, como o uso de agrotóxicos ou adubos químicos solúveis.

Além de comprometerem a qualidade dos solos e dos lençóis freáticos, essas substâncias alteram também o teor nutritivo dos alimentos, o que, em longo prazo, pode provocar doenças graves em animais e seres humanos.

Portanto, ao optar por produtos provenientes da agroecologia, você garante tanto a preservação dos recursos naturais do planeta quanto a saúde e o bem-estar da sua família.

Mais qualidade de vida

Ao condenar os processos produtivos convencionais — que contaminam solo, água e o teor nutritivo dos alimentos — a agroecologia promove muito mais qualidade de vida para o ser humano.

Além disso, o agricultor adepto dessa forma de cultivo sustentável também sai ganhando, já que a agroecologia combate o uso das inúmeras substâncias nocivas à saúde do produtor convencional, como pesticidas, agrotóxicos e fertilizantes.

Sem falar na dimensão do problema relacionado à contaminação da água dos lençóis freáticos. Isso porque, na maioria das vezes, essa água é consumida diretamente pela população, sem tratamento algum, o que afeta em cadeia a saúde de milhares de habitantes.

Em contrapartida, para você compreender de vez a importância ecológica da agroecologia, confira as desvantagens da agricultura convencional, caracterizada pela mecanização e monocultura:

  • eliminação da biodiversidade;

  • desequilíbrio dos ecossistemas;

  • degradação das paisagens naturais e dos solos;

  • dispersão de substâncias agroquímicas altamente tóxicas para o solo, a água e o ar.

Viu só? Agora que você já sabe tudo sobre agroecologia, ficou ainda mais fácil pensar verde, não é mesmo? Afinal, a receita para um cultivo mais justo e saudável é justamente a reunião de aspectos socioambientais, econômicos e tecnológicos limpos e adequados para a preservação da vida na Terra!

Quer saber mais sobre outros sistemas agrícolas de caráter sustentável? Então confira este outro post e conheça todos os benefícios da produção de base ecológica. Boa leitura!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This