guia-pratico-aprenda-como-aplicar-a-sustentabilidade-em-sua-rotina.jpeg

Guia prático: aprenda como aplicar a sustentabilidade em sua rotina

A palavra sustentabilidade nunca foi tão difundida. Jornais, revistas, programas de televisão, reportagens, livros e páginas na internet abordam esse tema com uma frequência bastante significativa nos dias de hoje. E não é para menos!

De acordo com a organização internacional Global Footprint Network (GFN), no ano de 2016 esgotamos os recursos naturais de nosso planeta disponíveis para o ano todo em menos de oito meses, no dia 8 de agosto!

O Dia de Sobrecarga da Terra, como é chamado, começou a ser calculado no ano 2000 e, desde lá, a cada ano ele chega mais cedo — em 2000 o dia de sobrecarga foi em primeiro de outubro. O que isso significa? Que ano após ano esgotamos mais rapidamente os recursos naturais de nosso planeta.

Caso algumas medidas não sejam tomadas rapidamente, com o objetivo de tornar a sociedade mais sustentável, as gerações futuras estarão seriamente comprometidas, com escassez de recursos naturais essenciais à vida, como a água, aumento brutal da temperatura e falta de alimentos. Certamente não é esse o cenário que você deseja para seus filhos e netos, certo?

Mas afinal, o que é sustentabilidade? Como é possível aplicá-la na rotina diária? E mais, as ações individuais em prol da sustentabilidade fazem realmente alguma diferença na criação de um planeta mais equilibrado e saudável?

Foi justamente para responder a essas questões que escrevemos o post de hoje! Aqui, você encontrará um Guia Prático, com explicações e dicas supervaliosas de como aplicar a sustentabilidade em sua rotina. Vamos lá?

1. O que é sustentabilidade?

Conceitualmente, o termo sustentabilidade refere-se a ações e atividades humanas que têm como objetivo suprir as necessidades da geração presente sem, contudo, prejudicar o suprimento das gerações futuras. Ou seja, são ações, hábitos, metodologias e práticas que utilizam de maneira racional e sustentável os recursos naturais de nosso planeta, de maneira a não esgotá-los.

E se engana quem pensa que ações sustentáveis são responsabilidades únicas e exclusivas de governos e grandes empresas. Obviamente, essas entidades têm sim o dever de criar e implementar ações sustentáveis em suas rotinas, já que impactam a vida da sociedade como um todo.

Entretanto, cada pessoa, individualmente, pode contribuir de maneira efetiva para o bem-estar coletivo do lugar onde mora. É claro que ações individuais possuem um impacto menos significativo quando se pensa em termos globais. Mas acredite, fazer a sua parte como cidadão consciente pode trazer benefícios significativos tanto para a cidade e bairro onde você mora quanto para a sua saúde, qualidade de vida e — pasme! — até mesmo para o seu bolso.

Você certamente já escutou por aí uma frase, associada à Madre Tereza de Calcutá, que diz: “é só uma gota no oceano. Mas sem essa gota, o oceano seria menor”. Pois é exatamente essa a lógica da adoção de hábitos sustentáveis pelas pessoas comuns. Faça a sua parte e contribua, mesmo que de maneira modesta, para a manutenção de um mundo mais justo e saudável.

2. O que são hábitos sustentáveis?

Ok, agora que você já tem mais claro em sua mente o conceito de sustentabilidade, pode estar se perguntando como toda essa parte teórica pode ser convertida em hábitos, certo?

Para esclarecer melhor essa questão, é preciso que você tenha em mente que a sustentabilidade não se refere apenas a adquirir hábitos sustentáveis única e exclusivamente pensando no meio ambiente. Somente deixar de jogar lixo no chão não é ser sustentável (apesar de ser uma atitude louvável e necessária!).

Pensando no todo

É necessário imaginar em como cada uma de suas ações teoricamente sustentáveis impactarão o todo. Onde começa e termina o ciclo de vida de cada material ou produto? Afinal, se você parar para refletir, se dará conta de que tudo no mundo, de uma maneira ou de outra, está conectado.

Para exemplificar melhor esse ponto, vamos supor que você, com o objetivo de poupar energia elétrica e tornar seu lar mais sustentável, resolva substituir as lâmpadas incandescentes de sua casa por lâmpadas fluorescentes. Até aqui tudo ótimo, já que as fluorescentes gastam mesmo menos energia elétrica e duram mais.

Entretanto se, ao deixarem de funcionar, você simplesmente descartá-las no lixo comum, saiba que sua intenção de ser sustentável já foi pelo ralo. Isso porque as lâmpadas fluorescentes contém mercúrio e outros metais pesados em sua composição, que possuem um potencial bastante alto de contaminação de solos e rios. Para “fechar o ciclo” da sustentabilidade com excelência, é necessário destiná-las a locais específicos, onde terão partes recicladas e os metais pesados recolhidos.

Mas então é viável ter hábitos sustentáveis?

Sim, claro que sim! Apesar de, à primeira vista, parecer muito trabalhoso ou difícil pensar de maneira mais ampla como cada atitude e hábito seu impactará nosso planeta e as pessoas, com o tempo, isso se torna quase automático.

É claro que criar e implementar dezenas de hábitos sustentáveis em sua vida de uma única vez é uma tarefa difícil. Comece aos poucos. Escolha um hábito a ser incorporado por vez e só parta para o próximo quando o primeiro estiver totalmente adequado ao seu estilo de vida, ou seja, que você não tenha que pensar ou fazer esforço para praticá-lo.

Pode ser separar e destinar seu lixo corretamente, diminuir o tempo no banho, parar de usar copos descartáveis, passar a comprar produtos biodegradáveis ou consumir produtos orgânicos, cultivados por pequenos agricultores. Escolha um hábito que seja mais fácil para você e comece por ele. Acredite, será mais simples do que você imagina.

3. Quais são os benefícios da sustentabilidade?

Um fato é incontestável: é praticamente impossível para qualquer ser humano incorporar mudanças de hábitos em sua rotina diária se os benefícios de tal atitude não estiverem bastante claros. Afinal, mudar a maneira como nos comportamos ou fazemos determinadas coisas, especialmente hábitos muito antigos, é difícil e exige uma boa dose de motivação e disciplina de nossa parte, não é mesmo?

Por isso, abaixo listamos os benefícios da sustentabilidade sob diferentes aspectos: ambiental, social, de saúde e econômico. Confira:

Benefícios ambientais

Quando se fala em sustentabilidade, os benefícios para o planeta e para o meio ambiente são os primeiros que vêm à cabeça, certo? E não é para menos! Nosso planeta e as próximas gerações agradecem, e muito, a prática de hábitos sustentáveis.

Reciclar o lixo, consumir produtos orgânicos e biodegradáveis, economizar água e energia elétrica, usar mais o transporte público e menos o carro são exemplos de atitudes que poupam sobremaneira os recursos naturais do planeta, reduzem a emissão de gases tóxicos na atmosfera e preservam a biodiversidade de fauna e flora.

Só para se ter uma ideia, em uma cidade como São Paulo, com cerca de 10 milhões de habitantes, se cada pessoa diminuísse em apenas um minuto o tempo embaixo do chuveiro diariamente, a economia de água seria de incríveis 60 milhões de litros ao dia! Isso mesmo!

Da mesma maneira, deixar seu carro na garagem apenas uma vez por semana, ao final de um ano, pode significar 440 quilos a menos de dióxido de carbono na atmosfera de sua cidade! O dióxido de carbono é um gás gerado durante a queima de combustíveis fósseis, e um dos principais responsáveis pelo efeito estufa e pelo aumento da temperatura global nas últimas décadas.

Trocando em miúdos, fazer a sua parte incluindo hábitos sustentáveis em sua rotina contribui de maneira efetiva para a saúde e equilíbrio do nosso planeta, garantindo assim, que as próximas gerações também possam usufruir de todo o conforto e qualidade de vida que temos acesso hoje em dia.

Benefícios sociais

Você sabia que ao incorporar hábitos sustentáveis em sua vida você pode estar gerando empregos de maneira indireta? Exatamente! Separar o lixo produzido em sua casa, por exemplo, destinando os resíduos recicláveis a uma cooperativa de reciclagem é uma maneira super bacana de contribuir para a geração de emprego e renda para as populações mais carentes de sua cidade.

Além disso, muitas pessoas sobrevivem graças à venda de latas de alumínio e papelão a empresas que utilizam esses materiais como matéria-prima. Por isso, dar o destino correto ao lixo reciclável de sua residência, além de contribuir efetivamente para a diminuição da quantidade de lixo nos lixões e aterros, pode aumentar a renda mensal de uma pessoa.

Economizar água e energia elétrica também é uma maneira de contribuir para o desenvolvimento social de sua região ou cidade. Isso porque atitudes como essa contribuem para que os sistemas de distribuição não sejam sobrecarregados, o que evita apagões e necessidades de obras de ampliação das redes, bem como diminui o nível de contaminação e poluição de rios e córregos.

Passar a comprar alimentos orgânicos, de produtores e comerciantes locais, também ajuda o meio ambiente e a sociedade. A agricultura orgânica, de maneira geral, é realizada por pequenos produtores, que têm no cultivo e venda de seus produtos, sua principal fonte de renda.

Além disso, ao preferir comprar alimentos no mercadinho do bairro ou nas feiras semanais de sua rua, você contribui para estimular a economia local e diminuir a poluição gerada pelo transporte de alimentos vindos de áreas longínquas, como outras cidades e até mesmo estados.

Benefícios à saúde

Saindo da esfera mundial e coletiva, a sustentabilidade aplicada no dia a dia pode trazer inúmeros benefícios individuais também, especialmente em relação à sua saúde, bem-estar e qualidade de vida.

Ao trocar o carro pela bicicleta, por exemplo. Além de contribuir para a diminuição da emissão de gases poluentes na atmosfera, de quebra você ainda dá aquela turbinada na musculatura das pernas e glúteos e melhora muito sua capacidade cardiorrespiratória e seu nível de energia e disposição para as atividades diárias.

Trocar os produtos de limpeza de sua casa por outros, naturais e biodegradáveis, também é uma maneira de contribuir com a sustentabilidade e com seu bem-estar e de sua família. Além de não contaminar rios e solos, os produtos naturais e biodegradáveis não causam alergias e não são  tóxicos e nem prejudiciais a crianças e animais domésticos.

O mesmo se pode dizer dos alimentos orgânicos e não industrializados. Eles são produzidos sem agrotóxicos, utilizando técnicas de manejo e produção que não agridem o meio ambiente e fauna local e sem nenhum tipo de substância tóxica ou veneno que podem, a longo prazo, trazer sérias consequências à saúde.

Só para você ter uma ideia, infere-se que o brasileiro consome, em média, 5 quilos de agrotóxicos ao ano! Como possuem efeito cumulativo, ou seja, não são eliminados com facilidade de nosso organismo, com o passar dos anos, o alto nível de toxicidade em seu corpo pode acarretar no desenvolvimento de alergias e intolerâncias alimentares e até mesmo câncer!

Benefícios financeiros

Por fim, por incrível que pareça, incluir a sustentabilidade em sua rotina também pode fazer muito bem para o seu bolso e seu orçamento mensal. Isso mesmo!

Afinal, esforçar-se para economizar água e luz, além de poupar os recursos naturais do planeta, resulta em diminuições consideráveis nos valores das contas de água e energia elétrica. Em alguns casos, pode-se reduzir o preço cobrado em 50%!

Reutilizar e reciclar também resultam em alguns trocados a mais em sua conta bancária. Será que mandar consertar aquele eletrodoméstico não é melhor e mais econômico do que comprar um novo em folha? Fique atento aos apelos consumistas das propagandas veiculadas na TV e nos outdoors. Pergunte-se sempre se realmente comprar algum novo item ou produto é realmente necessário. Que destino você dará ao antigo? Pense bem nisso e reflita se vale mesmo a pena.

Utilizar menos o carro ou adotar o sistema de carona solidária, onde pessoas que vivem e trabalham perto utilizam um mesmo veículo para ir e voltar do trabalho, dividindo o valor do combustível e estacionamento, pode fazer você economizar um bom dinheiro mensalmente! Afinal, o preço do litro da gasolina anda bem salgado, certo?

4. Como tornar minha casa mais sustentável?

Nosso lar é nosso refúgio de paz e tranquilidade, o local onde nos sentimos bem e protegidos do caos mundano de todos os dias, não é mesmo? Pois saiba que, além de confortável e segura, sua casa também pode ser sustentável e contribuir de maneira efetiva para o equilíbrio ambiental do planeta! Como? Fique atento às dicas listadas abaixo:

Substitua as lâmpadas normais pelas de LED

Apesar de terem um custo mais elevado, substituir as lâmpadas de sua casa, sejam elas incandescentes ou fluorescentes, pelas fabricadas em LED é uma excelente maneira de economizar energia elétrica e, consequentemente, dinheiro. Elas são tão econômicas que o preço investido na compra se paga em apenas dois meses! Além disso, a durabilidade desse tipo de lâmpada é incrivelmente grande: podem durar até 14 anos!

Instale aeradores de água nas torneiras

O aerador de água, ou chuveirinho, é um dispositivo que quando instalado nas torneiras adiciona oxigênio à água, o que dá a impressão de aumento de pressão e vazão. O curioso é que, na prática, é justamente o oposto. Elas diminuem a vazão da água, poupando esse recurso. E a boa notícia é que os aeradores são super baratos. Custam, em média, R$ 5.

Adote as descargas ecológicas

Você já parou para pensar na quantidade de água potável que literalmente vai pelo ralo quando você puxa a descarga de seu banheiro? As descargas comuns utilizam nada menos do que 12 litros desse líquido tão precioso a cada vez que são acionadas.

Entretanto, atualmente, é bastante acessível trocar sua descarga pelos modelos ecológicos, que apresentam dois botões: um deles, para rejeitos líquidos, libera apenas 3 litros de água a cada descarga. O outro, para rejeitos sólidos, 6 litros.

Tire os equipamentos eletrônicos da tomada quando não estiverem em uso

Aquela luzinha vermelha, presente em muitos equipamentos eletrônicos, e que serve para indicar que o aparelho está no modo stand by pode ser responsável por até 15% do valor total de sua conta mensal de luz! Isso mesmo! Por isso, sempre que não estiverem sendo utilizados, retire-os da tomada, ok?

Colete água da chuva

Hoje em dia é bastante fácil encontrar sistemas de coleta de água da chuva à venda. Eles estão compostos de cisternas, calhas e tubos, além de cloradores, opcionais. A complexidade (e o preço) do sistema dependerá do uso que você deseja dar à água coletada.

Caso seja para a utilização para fins não nobres, como rega de jardim, descarga do banheiro e lavagem de calçadas e quintais, não é necessário tratar a água que for coletada nas cisternas. Por outro lado, se o objetivo for usá-la para torneiras ou chuveiros, é obrigatório que ela passe por tratamentos com cloro, a fim de eliminar impurezas e microrganismos potencialmente patogênicos.

Faça compostagem

Sabia que além de destinar o lixo que pode ser reciclado a cooperativas e centros de reciclagem, uma parte do lixo orgânico de sua residência também pode servir para outro fim? Exatamente!

Por meio de uma técnica chamada compostagem, que nada mais é do que a transformação de lixo orgânico em adubo, você pode gerar compostos supernutritivos para as plantas de seu jardim e, de quebra, ainda contribuir para a diminuição da quantidade de resíduos nos lixões.

E se engana quem pensa que a compostagem só é possível de ser realizada em casas com quintal e grandes espaços abertos. É possível montar composteiras de tamanho reduzido e até mesmo minhocários (as minhocas têm um papel importante no processo de compostagem), que se adaptam perfeitamente a apartamentos e residências menores.

5. Como aplicar a sustentabilidade em minha rotina?

Como já citamos no início deste post, tentar aplicar a sustentabilidade em sua rotina de uma hora para outra e sem um certo planejamento pode fazer com que você desista da ideia de contribuir para o planeta rapidinho. Com a rotina corrida e as mil e uma tarefas que temos que dar conta diariamente, inserir novos hábitos de maneira efetiva é um processo que pode levar tempo e requer paciência e disciplina.

E para que a sustentabilidade não se torne um fardo ou uma tarefa chata a mais em sua vida, trazendo estresse e desconforto, você pode começar tentando distribuir os hábitos durante a semana. Isso consumirá pouco do seu tempo diário e engajará toda a sua família, fazendo com que cuidar do planeta seja também uma atitude de união entre todos os moradores da casa. Confira abaixo um exemplo:

  • Segunda-feira – dia de separar e coletar o lixo reciclável: envolva seus filhos na tarefa de separar os materiais recicláveis dos não recicláveis. Acredite, mais de 50% do lixo de sua residência pode ser reaproveitado.

  • Terça-feira – dia do banho rápido: estipule um dia da semana para que todos os moradores da casa diminuam em dois minutos o tempo do banho. Se você tem crianças em casa, pode, inclusive, propor uma espécie de premiação para o mais rápido.

  • Quarta-feira – dia do jantar orgânico: comprar, exclusivamente, produtos orgânicos pode pesar no bolso, visto que costumam ser mais caros do que os normais. Por isso, estipular um dia da semana para cozinhar uma refeição somente utilizando verduras, ovos e carnes orgânicas já é um excelente começo.

  • Quinta-feira – dia do consumo consciente: nesse dia, estão proibidos o uso de descartáveis. Copos, talheres, pratos, e guardanapos descartáveis devem ser substituídos por utensílios que possam ser lavados e reutilizados.

  • Sexta-feira – dia da bicicleta: aproveite que o final de semana está próximo e utilize o último dia útil da semana para deixar o carro na garagem e ir e voltar do trabalho de bicicleta.

  • Sábado e domingo – dias de curtir a natureza: quem disse que ser sustentável é somente responsabilidade? Aproveite o final de semana e vá curtir a natureza e suas belezas com a sua família! Parques, praças, praias, trilhas e cachoeiras. Certamente há alguma dessas opções de passeio em sua cidade ou nos arredores. Curta a energia que os ambientes naturais são capazes de proporcionar e que você está ajudando, efetivamente, a manter!

Por fim, aplicar a sustentabilidade em nosso dia a dia em pouco tempo deixará de ser algo feito pelas pessoas mais instruídas e cientes da situação atual de nosso planeta, e passará a ser uma obrigação de todos. Caso o nível de consumo, devastação e utilização desenfreada dos recursos naturais não mudar urgentemente, corremos o risco de enfrentarmos cenários de escassez, doenças e desequilíbrios em um futuro muito próximo!

Por isso, não deixe para amanhã! Não perca mais tempo! Utilize todas as informações e dicas que você encontrou ao longo deste post e passe a aplicar a sustentabilidade em sua rotina hoje mesmo! Acredite, você e sua família colherão os frutos dessas atitudes antes mesmo do que imaginam! O planeta e as gerações futuras agradecem!

E agora é a sua vez! Você gostou do conteúdo deste post? Acha que ele foi útil para você? Existe alguma outra maneira de aplicar a sustentabilidade na rotina que não foi citada aqui? Compartilhe suas experiências, dúvidas e comentários com a gente e ajude a enriquecer a discussão sobre o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This